SOEA: Mútua traz debate sobre internet industrial para o evento

Com presença marcante durante a 74ª SOEA, em Belém (PA), a Mútua realizou programação especial durante o evento na tarde dessa quarta-feira (8). O público que acompanhou as atividades da Caixa de Assistência – delegações dos Creas, diretores regionais, integrantes do CreaJr e participantes em geral – assistiram à palestra “A Era da Internet Industrial”, ministrada pelo eng. mec. José Rizzo Hahn Filho.

Durante a palestra, Rizzo definiu a internet industrial como aquela que une a produtividade das máquinas com a inteligência analítica dos softwares e a criatividade humana, ou seja, que conecta os mundos cibernético e físico. Na prática, elucidou Rizzo, é a internet industrial que permite que equipamentos e sistemas complexos sejam consertados antes de apresentarem problemas, a chamada “manutenção preditiva”. Seria a solução para erradicar problemas atuais de diversas áreas, como cancelamentos de voos, panes em redes elétricas, inconsistências em análises médicas e até mesmo enguiçamento de carros.

Ele explicou que a internet industrial, ou também chamada de a terceira revolução tecnológica, nasceu há três anos dos Estados Unidos e que esse novo conceito e aplicação tecnológica definirá o perfil do mercado corporativo nos próximos anos. “Uma pesquisa da Universidade de Washington (EUA), mostrou que 40% das empresas americanas vão desaparecer em dez anos porque não conseguirão se adequar aos avanços tecnológicos”, frisou.

Já as organizações que têm potencial para crescerem e se manterem no mercado, algumas características peculiares são comuns, pontuou Rizzo. Estar no limiar da tecnologia, voltadas completamente para o digital, executando suas atividades de forma ágil e focadas na resolução

Julio Fialkoski, diretor administrativo da Mútua (segundo a partir da esquerda) com o palestrante José Rizzo (terceiro a partir da esquerda) e profissionais que acompanharam a programação da Mútua na SOEA

de problemas são algumas das similaridades das empresas na era da internet industrial.

“Não ser hoje digital, não quer dizer a empresa está fora do mercado. Mas é necessário que haja essa consciência de que o ambiente está em constante mudança e de que é preciso de reinventar o quanto antes”, sugeriu o engenheiro. Por fim, ele citou algumas vantagens que a internet industrial pode oferecer às organizações, como redução do uso de materiais e energias, redução de interrupções dos processos, aumento da produção e melhoria da satisfação dos clientes.

O palestrante
Fundador e CEO da Pollux, empresa líder em manufatura avançada, robótica e internet industrial, Rizzo é formado pela Iowa State University, atua na área de automação industrial há 25 anos e representa a companhia e o país em diversos fóruns mundiais de tecnologia. Selecionado em 2001 pela Endeavor, apoia fortemente as causas do empreendedorismo e da inovação no Brasil. Atualmente é presidente da Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII).

 

Fonte e fotos: Gecom/Mútua